comportamento, estudos, notícias, psicologia

Como um psicólogo convenceu crianças a rejeitarem açúcar

Você pode treinar uma criança para que ela odeie açúcar? Karl Duncker era um psicólogo que vivia na Grã-Bretanha nos anos 1930. Ele era um pesquisador mestre na pressão de oferecer uma bebida fictícia a crianças para ver se as convencia a evitar o açúcar.

Karl Duncker foi um dos grandes cientistas que deixou a Alemanha durante a ascensão do Nazismo. Hoje ele é mais conhecido pelo experimento que ilustrou a “fixidez funcional”, que é a tendência das pessoas, quando estão acostumadas a ver um objeto que é útil em uma situação particular, não enxergarem sua potencial utilidade em outras situações. Com esse experimento, ele provou que o contexto molda a mente e o comportamento das pessoas.

Ele provou a mesma coisa em outra série de experimentos. No fim dos anos 1930, Duncker visitou uma creche em Londres. Ele ofereceu nozes, bananas, maçãs, pães ou uvas para as crianças. Elas eram indiferentes ao que as outras escolhiam até mais ou menos os 27 meses de vida. Após esse período, elas costumavam se basear nas escolhas das outras crianças.

Uma vez que uma escolha foi feita através de uma sugestão social, ela persistiu por um tempo. Se uma menina visse uma das suas amigas escolhendo uvas, provavelmente escolheria uvas quando estivesse sozinha. As crianças olhavam para as outras  com o objetivo de se encaixar entre elas, de ter algo em comum.

Duncker queria verificar se elas poderiam ser influenciadas por modelos fictícios, então deu a outras crianças uma nova opção. Eles poderiam escolher entre chocolate branco em pó com limão ou um pó marrom feito a partir de raiz de valeriana. A raiz de valeriana é inofensiva, mas amarga. Poucas crianças escolheriam ela por vontade própria. Antes delas escolherem, Duncker leu uma história sobre um rato que odiava uma bebida branca, azeda e nojenta e amava “açúcar de bordo” marrom escuro. Quando as crianças experimentavam ambas, Duncker perguntava qual elas preferiam, e 67% escolhiam o “açúcar de bordo”. Sem a história, apenas 13% preferiam a raiz de valeriana.

Então se você quiser ter filhos que amem comidas saudáveis e rejeitem açúcar, primeiro deixe-os expostos a julgamento de outras crianças, e depois leia uma história sobre um rato que odeia coisas açucaradas. Pode funcionar.

Fonte: http://gizmodo.uol.com.br/como-um-psicologo-convenceu-criancas-a-rejeitarem-acucar/

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s