Síndrome do Impostor: o sentimento de nunca ser bom o suficiente
psicologia

Síndrome do Impostor: o sentimento de nunca ser bom o suficiente

A Síndrome do Impostor é uma desordem psicológica que pode afetar pessoas bem sucedidas e plenamente capacitadas de realizarem seus trabalhos. Mesmo a pessoa estando preparada e sendo elogiada pelos outros, ela tem a sensação de que seu desempenho não é tão bom assim e que nada é suficiente, como se fosse uma “farsa”.

Isso acarreta em muitos problemas que podem afetar o desenvolvimento pessoal e profissional, incluindo insegurança, baixa autoestima, complexo de inferioridade, perfeccionismo exagerado, além do medo de descobrirem que ela não é tão competente quanto os outros pensam. A pessoa tem um constante sentimento de estar inadequada.

Há alguns sinais que indicam que a pessoa pode estar sofrendo com esta síndrome, mas apenas um psicólogo pode diagnosticar e tratá-la. Os pontos a seguir são apenas como uma referência.

1: Esforço exagerado no trabalho: diferente de uma pessoa esforçada e que trabalha bastante, quem sofre da síndrome do impostor se dedica de modo muito exagerado em seu ofício, querendo sempre mostrar resultados. Mesmo trabalhando além do que devia, ele ainda acha que não é suficiente.

2. Autodepreciação: diretamente ligada ao primeiro ponto, a pessoa sempre se autodeprecia e crê que não é suficiente. Ela se sente muito insegura de seu trabalho, e se sente menos do que realmente é.

3. Medo de exposição: quem sofre da síndrome do impostor tem medo de ser avaliado e julgado e, por isso, tenta passar despercebido. Prefere ser o mais discreto o possível e, na grande maioria dos casos, sofre em silêncio. Tem medo que os outros percebam que ele é “incapaz”.

4. Procrastinação: eles adiam ao máximo tarefas e compromissos e são perfeccionistas ao extremo. Têm medo de que seu trabalho seja criticado e, em muitos casos, nunca finalizam um projeto.

5. Autossabotagem: por enxergar o fracasso como algo inevitável, além da alta carga de ansiedade, ele próprio se sabota para minar suas próprias conquistas.

Somente um profissional qualificado poderá ajudar a pessoa a se libertar da síndrome do impostor e ajudá-lo a ter uma vida mais leve, funcional e feliz. Reconhecer o problema é o primeiro passo, procurar ajuda é o segundo, e o terapeuta vai te evidenciar quais são seus pontos fortes e talentos e evidenciará que você não precisa “ser perfeito” para ser um bom profissional.

Com informações do Psicologia Viva e Huffpost Brasil

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s