Hormônios da felicidade: saiba o que fazer para liberar cada um deles
comportamento

Hormônios da felicidade: saiba o que fazer para liberar cada um deles

Entende-se que para a pessoa ser feliz, ela deve procurar ter uma vida saudável em três pilares: biológico, psicológico e social, sendo que os três estão interligados. Falando no sentido da biologia, há quatro neurotransmissores capazes de gerar sensações como alegria, recompensa e bem-estar, sendo estes liberados pelo organismo dependendo das atividades que temos.

  • Serotonina: ajuda a equilibrar o humor e dá um impulso benéfico para a vida sexual, apetite, sono, memória, aprendizagem e temperatura;
  • Dopamina: responsável pela sensação de prazer quando completamos tarefas e objetivos, além de atuar também no controle de movimentos, aprendizado, cognição e memória;
  • Endorfina: este atua como analgésico e é liberada pelo corpo em situações estressantes e de dor. Ou seja, se você está passando por uma situação em que você fica nervoso, e com o tempo passa a ficar mais “tranquilo”, é a endorfina entrando em atividade;
  • Ocitocina: reduz ansiedade e traz sentimentos de calma e segurança, além de ser chamada do “hormônio do amor”. Alguns estudos apontam que a ocitocina tem o poder de diminuir as memórias ruins e melhora o processamento de informações sociais.

Liberar cada um desses hormônios é relativamente simples e requer algumas atitudes em nosso cotidiano, como alimentação, atividades físicas e atividades sociais. Entre as principais coisas que você pode fazer para cada uma delas estão:

SEROTONINA

  1. Cuidar de si: ter uma boa noite de sono, fazer atividades como massagem, sauna e ioga ajudam a liberar serotonina;
  2. Tomar banho de sol: ficar no sol por 15 a 20 minutos ajuda na produção de serotonina;
  3. Suplemento 5-HTP: feito em farmácia de manipulação, o 5-HTP é barato e tem um excelente custo benefício, já que ele melhorar a qualidade do sono, e para muitos é um excelente antidepressivo;
  4. Meditação: estudos comprovam que meditar ajuda a reduzir o cortisol, que é responsável pela sensação de estresse, e consequentemente ajuda no aumento da produção de serotonina. 15 minutos já apresenta resultados positivos.
  5. Sair com amigos: chamar os amigos para sua casa, assistir um filme, falar besteira, ou interações sociais estimulam a produção de serotonina.

ENDORFINA

  1. Banho frio: tomar banho frio pode ser bem desagradável, mas o choque térmico obriga o nosso corpo a liberar endorfina justamente para diminuir a sensação desagradável. Ao sair do banho, seu corpo continua com endorfina;
  2. Malhar: exercícios anaeróbicos estimulam a liberação de endorfina na corrente sanguínea;
  3. Dormir: a privação do sono ou a interrupção brusca diminui a conexão da endorfina com os receptores do sistema límbico. Procure ter uma boa noite de sono;
  4. Tomar sol: assim como a serotonina, a endorfina é influenciada pela exposição ao sol;
  5. Alimentação: chocolate meio amargo, pimenta, aveia, alface, têm entre seus componentes a endorfina.
  6. Ver filme triste ou engraçado: um estudo da Universidade de Oxford mostrou que tanto os filmes de comédia quanto os de drama ajudam a liberar endorfina.

OCITOCINA

  1. Abraçar por mais de 30 segundos: um bom abraço apertado naquele familiar, amigo ou em seu parceiro(a) libera ocitocina no cérebro. Estudos mostram que este ato é importante para as crianças, que crescem com o sentimento de serem acolhidas;
  2. Relações sexuais: estudos comprovam que a ocitocina é gradativamente liberada durante a relação;
  3. Tomar sol: também ajuda a liberar ocitocina;
  4. Relaxar: ouvir música calma, tomar banho quente e meditar ajudam a liberar ocitocina no organismo.

DOPAMINA

  1. Cumprir metas: aqueles objetivos que temos, quando cumpridos, liberam dopamina no cérebro. O ideal é propor metas simples, ou seja, ao invés de emagrecer “30 kgs”, coloque como uma meta “emagrecer 500 gramas essa semana”;
  2. Exercícios físicos: neste caso, a atividade aeróbica é o ideal para liberar dopaminas. Ela estimula produção de novas células cerebrais, retarda o envelhecimento e melhora o fluxo de nutrientes;
  3. Meditação com regularidade: estudos comprovam que pessoas que praticam a meditação elevam a produção de dopamina, melhorando o foco e a concentração.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s