Videogames podem ser bons para a saúde mental se usados da forma correta
psicologia

Videogames podem ser bons para a saúde mental se usados da forma correta

Ao longo dos anos, os videogames foram muito criticados por estimularem a violência e levarem crianças e adolescentes ao isolamento social. No entanto, as pesquisas mais recentes demonstram que, ao contrário do que se imaginava, os jogos eletrônicos podem ser benéficos para a pessoa desde que os pais, ou a própria pessoa caso seja adulto, se atente a alguns detalhes.

Um estudo publicado em 2013 pelo British Medical Journal, avaliou diferentes tipos de estímulos em 11.000 crianças ao longo de 10 anos, concluiu que os videogames “não exercem nenhum efeito negativo nas características individuais da criança, como comportamento e atenção, nem ajuda a desenvolver doenças emocionais. A mesma conclusão vale para meninos e meninas”.

Mais recentemente (em 2019), a Universidade de Oxford, na Inglaterra, divulgou um outro estudo que afirma não ter encontrado relação entre jogos com comportamento agressivo. Segundo Andre Przybylski, diretor de pesquisa do Oxford Internet Institute:  “A ideia de que videogames violentos geram agressão no mundo real é popular, mas não foi observada ao longo do tempo. Apesar do interesse no assunto por pais e políticos, a pesquisa demonstrou que não há motivo para preocupação”.

Segundo um artigo do canal Oficina Net, os videogames são para o cérebro como os exercícios físicos são para os músculos, já que há estímulos constantes que ajudam no desempenho intelectual. Além disso, foram observados alguns benefícios da prática, incluindo:

  • Melhora nas habilidades sociais: jogos online necessitam da interação entre as pessoas, ajudando crianças e adolescentes a encontrarem novos amigos e fortalecer com os antigos;
  • Ensina a seguir regras: os jogos têm regras e caso seu filho não as siga, serão penalizadas no jogo;
  • Ajuda na memória e concentração: o estímulo visual e auditivo e o domínio dos comandos estimulam a concentração;
  • Aprimora as habilidades multitarefa;
  • Estimula a leitura

Evidente que todo exagero pode ser prejudicial a saúde mental de um indivíduo, e a chave para se divertir sem se comprometer está em estipular limites e que a pessoa se atente ao conteúdo proposto.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s