Amo meu filho LGBT, mas não sei como lidar! E agora?
comportamento

Amo meu filho LGBT, mas não sei como lidar! E agora?

Devido aos valores, crenças e a cultura que estamos inseridos, ser um LGBT é um grande desafio e motivo de sofrimento. Dependendo do contexto em que ela vive, a pessoa pode sofrer episódios de homotransfobia, além de ter medo de decepcionar amigos e familiares e até ser expulsa de casa.

Só que além da própria pessoa, quando há a percepção de que o filho é gay, lésbica ou transgênero, pode ser um desafio para os pais também, em especial aqueles que tiveram uma criação conservadora e consideram esse assunto um tabu. Com os avanços sociais que os LGBTs andam tendo nos últimos anos, as clínicas psicológicas têm recebido com maior frequência os pais que sentem a necessidade de aprender a lidar com essa situação em casa.

Pais de LGBTs relatam sentimentos de medo, depressão e ansiedade, além de terem uma quebra de expectativas quanto ao futuro do filho. No entanto, muitos declaram que amam seus filhos incondicionalmente, mas não sabem lidar, e nessas horas algumas regras básicas incluem:

  1. Você pode se sentir confuso no início e está tudo bem: A sociedade negou a existência dessas pessoas durante séculos, por mais que todos saibam que os LGBTs existem desde sempre. Então, você não está sozinho em se sentir “deslocado” por ser algo que era fora de sua realidade até então. Portanto, dar um tempo para si mesmo para “organizar os pensamentos” é algo possível;
  2. Nunca critique seu filho por isso: Hoje se sabe que ser LGBT não é uma escolha e por isso não se usa mais o termo “opção sexual”, mas sim orientação. Sexualidade tem a ver com desejo, e este não segue lógica e não segue um preceito, já que a pessoa se sente atraída por alguém do mesmo sexo ou no caso das pessoas trans, ela sente que está em um corpo errado. É comum ouvirmos dos próprios LGBTs que se eles pudessem escolher, eles não escolheriam ser LGBT;
  3. Proporcione apoio: Seu filho já terá muitos desafios no “mundo lá fora”, então a família deve dar o suporte emocional necessário. Ambientes familiares disfuncionais quanto podem gerar problemas psicoemocionais sérios nos filhos, como fobias, traumas e diversos transtornos.

Os pais devem procurar informações, ler sobre o assunto, conversar com outros pais de LGBTs também. Cada família tem sua própria dinâmica, e nessas horas é bom procurar a ajuda de um psicólogo para ajudar os pais a lidarem com essa questão.

Com informações de Psicólogo e Terapia

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s