comportamento, psicologia

11 truques da psicologia para gostarem mais de você

Já diria o velho ditado “Nem Jesus agradou a todos, quem dirá eu”, não é mesmo? Mesmo que sejamos simpáticos e bondosos com os outros, sempre haverão pessoas que não simpatizarão com a gente. No entanto, a jornalista científica Maggie Zhang reuniu uma série de estudos do campo da psicologia no ano de 2016 para ajudar as pessoas a se tornarem mais agradáveis e fazerem com que as outras pessoas tenham, via de regra, mais simpatia por você.

  1. Esteja por perto: há um fenômeno chamado de “efeito de mera exposição”, explicando que a pessoa, só de estar por perto, fica mais acostumada com sua presença e, desse modo, tende a gostar mais de você. Por essa razão que quando vemos coisas familiares nós sentimos um “quentinho” no coração;
  2. Faça elogios sinceros, moderados e não óbvios: um elogio é muito importante para que alguém goste de você, especialmente se ele não for muito óbvio. Aquela pessoa que é muito bonita, provavelmente, já ouviu várias vezes em vários lugares que é uma pessoa bela, mas ela tem outras qualidades que são menos evidentes e, portanto, menos valorizadas e mais eficientes para criar uma conexão.

    As pessoas associam boas palavras a bons sentimentos contigo, aumentando o vínculo afetivo, e o mesmo vale para o outro lado, já que pessoas que sempre aparecem amargas e falam mal dos outros tendem a causar uma impressão ruim.

    No entanto, quando há muitos elogios, feitos a todo o momento, a mensagem que você transmite é de que quer alguma coisa ou que está sendo falso.
  3. Descubra conexões em comum: ter amigos em comum deixa as pessoas mais próximas. A teoria por trás desse fator é chamada de “proximidade de tríade” e foi observada por estudantes da Universidade de British Columbia, no Canadá, mostrando que a chance de aceitar uma pessoa nas redes sociais era de 80% para aqueles que tem, em média, 11 amigos em comum. Quando não há nenhum, essa porcentagem cai para 20%.

  4. Seja legal primeiro, depois mostre que suas competências: é comum que quando queiramos impressionar alguém, nós começamos a falar sobre nossos méritos sociais: um alto cargo em uma empresa, ter estudado em uma universidade de prestígio, ter conquistado o “carro dos sonhos” etc.

    No entanto, a psicóloga de Harvard Amy Cuddy concluiu em seus estudos que quando você transmite confiança, respeito e simpatia antes de mostrar suas competências intelectuais e econômicas, você tende a conquistar mais o respeito de alguém. Cuddy defende que essa ordem é essencial: primeiro demonstre bastante afeto, depois suas competências.

    A psicóloga diz que essa é uma questão evolutiva, já que para a nossa sobrevivência era crucial saber se o outro era digno de confiança antes de descobrir se o outro era forte;
  5. Faça besteira: Por falar em competência, é importante mostrar alguma “besteira” e não ser tão sério em todos os momentos, quebrando um pouco o “gelo”.

    Essa conclusão veio após um estudo em uma sala de voluntários fazendo um teste oral e depois reproduziu o áudio para universitários e perguntou de qual deles gostavam mais: aqueles que depois do teste deixaram derrubar um café ou aqueles que não se atrapalharam. Surpreendentemente, as pessoas que derrubavam um café no final eram mais bem vistas.

    No entanto, o efeito só funciona para aqueles que passam a impressão de serem competentes. Quem foi mal na prova e derrubou café no final não passou uma impressão positiva também. Isso significa que é importante se mostrar vulnerável para que os outros se identifiquem contigo, mas ninguém quer estar com alguém que faz “tudo errado” sempre;
  6. Toque nas pessoas, mas com cuidado: um tapinha nas costas quando vai dar parabéns, um toque no braço, e contatos físicos discretos e respeitosos são ótimos para criar vínculos com as pessoas.

    Essa conclusão foi chegada através de um estudo da Universidade do Mississipi, em que algumas garçonetes foram instruídas a tocar rapidamente o ombro ou as costas dos clientes quando retornavam os trocos deles — e as que fizeram isso conseguiram gorjetas maiores do que as que não tocavam os clientes. No entanto, é fundamental que você perceba o quanto pode fazer isso, já que uma pessoa que claramente não dá abertura e prefira manter a distância não dará certo com isso;
  7. Sorria: as pessoas tendem a gostar mais de uma pessoa que sorri verdadeiramente. Essa foi uma conclusão chegada com um estudo da Universidade de Wyoming, nos Estados Unidos, no qual 100 participantes mulheres olharam fotos de várias outras moças em quatro poses diferentes – sorrindo com uma postura corporal ‘aberta’ (coluna ereta e braços descruzados), sorrindo em postura ‘fechada’ (braços cruzados), rosto sério com postura aberta e não sorrindo em postura fechada.

    De todas as fotos, as mulheres que sorriam, independente da postura corporal, foram consideradas as mais amigáveis. Outro estudo, da Universidade de Florença, na Itália, sugere que sorrir quando você conhece alguém faz com que elas lembrem de você mais tarde. Por fim, uma terceira pesquisa chegou a conclusão de que você inconscientemente sente as emoções de quem está por perto. Assim, estar de bom humor vai deixar todo mundo ao seu redor mais feliz.
  8. Compartilhe um segredo: quando você conta algo muito importante sobre você, a outra pessoa se sente especial e tende a criar uma simpatia por você. A conclusão é de uma pesquisa da Stony Brook University;
  9. Espere coisas boas das pessoas: Um artigo publicado na Harvard Magazine concluiu que se você considera uma pessoa uma chata, provavelmente vai agir de um jeito mais defensivo com ela – o que, por sua vez, vai fazer com que essa pessoa te ache um idiota. Aí, ela também vai querer se proteger e, no fim, a forma como ela agir vai acabar confirmando a sua opinião ruim a respeito dela.

    Isso é conhecido como o efeito Pigmaleão (ou efeito Rosenthal), e também funciona do outro lado: se você já esperar um tratamento amigável de alguém, provavelmente vai se abrir mais, e aí essa pessoa vai sentir essa abertura e realmente ser mais amigável.
  10. Tenha senso de humor: Uma pesquisa das universidades da Califórnia e de Illinois mostra que um bom senso de humor é a característica que as pessoas mais procuram com os amigos, e está acima de qualquer outro traço positivo – incluindo empatia, beleza e gostos parecidos.

    Por outro lado, não ter um senso de humor (especialmente no seu trabalho) pode ser desastroso: em um estudo da Universidade de Washington, que analisou as relações entre 140 colegas de trabalho entre 26 e 35 anos, fica claro que as pessoas com menos senso de humor eram as menos populares – mesmo que elas fossem sabidamente bons trabalhadores, éticos ou pessoas educadas.
  11. Deixe o outro falar de si e ouça: Falar de si, de acordo com um estudo de Harvard, é tão recompensador quanto ganhar dinheiro, fazer sexo ou comer.

    Mas segundo Stuart Diamond, professor da Universidade da Pensilvânia, abrir um espacinho nessa falação para ouvir o outro – nem que seja só um pouquinho – pode melhorar a relação, mesmo que não seja a relação mais profunda do mundo.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s