psicologia

Transtornos de personalidade: conheça os 3 grupos

Como exploramos em um artigo anterior, o transtorno de personalidade é quando os padrões de comportamento e interações interpessoais desviam muito da norma e não devem ser confundido com doenças mentais. É o “jeito da pessoa ser” que é disfuncional, tanto para ela própria, quanto para as pessoas mais próximas. Sofrem e fazem sofrer.

Dentro dos transtornos de personalidade, há três grupos principais e, destes, há várias subdivisões. Hoje vamos explorar, segundo o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais IV, quais são esses três.

Cluster A

O grupo “A” é aquele que engloba os comportamentos considerados “esquisitos”. São pessoas excêntricas e desconfiadas, sendo o grupo que está mais propenso a desenvolver sintomas psicóticos. Dentro destes, há três subdivisões:

Paranoide: São as pessoas excessivamente desconfiadas. Ela suspeita que todos querem prejudicá-la de alguma forma, seja traição de um parceiro romântico, que estão roubando-o etc;

Esquizoide: Este se caracteriza pelo desinteresse pelo outro. A pessoa fica completamente isolada socialmente;

Esquizotípica: Crenças estranhas e comportamentos excêntricos. O paciente com transtorno de personalidade esquizotípica tem comportamento bastante peculiar. Há traços semelhantes à esquizofrenia.

Cluster B

Este grupo de pessoas são mais comumente apelidados de “problemáticos”, onde os outros costumam perceber que o comportamento tem características anormais. São as pessoas rebeldes, com tendência a quebrar regras e rotinas, “maus”, inconstantes, impulsivos, dramáticos, sedutores, imprevisíveis, egoístas e muito intolerante às decepções.

Antissocial: são as pessoas falsas e manipuladoras, que não sentem culpa e não aprendem com os próprios erros. Em casos mais graves, a pessoa pode matar alguém e não sentir remorso e ainda pode fazer novo. Não têm sentimentos como empatia;

Histriônica: estas pessoas têm necessidade de chamar a atenção para si mesmo e, comumente, a pessoas faz isso de forma dramática, provocadora ou sedutora;

Borderline: este é caracterizado pela forte desregulagem das emoções. Os relacionamentos são muito intensos e muito instáveis. Os próprios borderlines sentem uma sensação crônica de rejeição, têm medo de serem abandonados. São pessoas inconstantes, exageradas, constantemente insatisfeitas, intolerante às decepções e frustrações, possuem pensamento extremista e não conseguem se relacionar saudavelmente com familiares. Se sentem merecedoras de cuidados e atenção especial a todo momento e, muitas vezes, não conseguem controlar fortes emoções como raiva. Sentem-se sempre mal amados, rejeitados e ignorados por motivos banais, o que causa um gatilho para agressividade e manipulações. São pessoas manipuladoras, uma vez que temem ser rejeitados em seus relacionamentos amorosos, fazendo esforços totalmente desproporcionais para evitar o abandono;

Narcisista: este é caracterizado por uma ideia exagerada sobre suas próprias qualidades. A pessoa sente necessidade constante de admiração, não tem empatia e acha que os outros o invejam, quando na verdade é ele quem inveja os outros. São arrogantes, orgulhosos e se acham superiores e mais especiais do que outros.

Cluster C

São as pessoas vistas como medrosas, ansiosas, frágeis, dependentes e fóbicos. São submissos, obedientes, muito organizados e são disfuncionais no extremo oposto do grupo B, já que evitam quebrar regras ou rotinas. Neste grupo, os traços inflexíveis prejudicam mais a própria pessoa, já que elas têm uma propensão a ter transtornos de ansiedade.

Dependente: como o nome sugere, são aquelas que dependem emocionalmente e fisicamente uma outra pessoa. São as pessoas “carentes”, que não conseguem viver só e estão sempre à procura de um relacionamento íntimo para se manter dependente e, com frequência, são submissos a elas. Têm medo da perda e do abandono, e fazem de tudo para satisfazer os outros;

Esquiva: são pessoas que têm muita ansiedade social, carregam sentimento de inferioridade, têm baixa auto-estima e temem serem ridicularizados ou criticados em público. São pessoas que até têm vontade de se relacionar com os outros, mas devido a ansiedade social excessiva, tendem a isolar-se. Geralmente evitam festas e lugares cheios;

Obsessivo-compulsivo: uma das mais conhecidas, a pessoa obsessivo-compulsiva é teimosa, inflexível, excessivamente organizada e priorizam o correto e organizado de modo disfuncional, já que podem deixar de lado traços muito importantes como relacionamentos, diversão e lazer. É comum que a pessoa tenha dificuldade em desfazer-se de velharias e coleções, acumulando utensílios, móveis e objetos antigos.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s