psicologia

Como lidar com parentes indesejáveis no Natal?

As festas de fim de ano são momentos de confraternização e ver aqueles parentes que não vê há muito tempo, o que geralmente é motivo de alegria, mas nem sempre. Isso porque também somos obrigados a estar no mesmo ambiente que aquele irmão que não queremos falar, aquele primo que teve uma desavença etc.

Sentimentos de decepção, desconforto, e reviver antigas feridas também são comuns nesses momentos. Nesse contexto, a professora de psicologia e reitora associada para o Desenvolvimento de Professores e Sucesso da Wayne State University, Annmarie Cano, publicou em um artigo no The Conversation dando cinco sugestões do que fazer nessas horas.

SEJA HONESTO COM VOCÊ MESMO

O que é que você quer alcançar reconectando-se com membros da família afastados durante as férias? Você está procurando por um breve tempo juntos, os primeiros passos para reconstruir um relacionamento? Com base nas suas interações anteriores com os membros da sua família e refletindo sobre o motivo do estranhamento, qual a probabilidade de isso acontecer? Você precisa mudar suas expectativas? Ou há certas coisas que você pode fazer para reduzir a probabilidade de um maior distanciamento?

Se você estiver preocupado com assuntos delicados que podem desencadear sentimentos de raiva e mágoa, por exemplo, talvez construa uma atividade, introduzindo jogos para desviar o foco de mágoas passadas ou refazer eventos negativos. Se o uso ou abuso de álcool contribuiu para o estranhamento, considere servir uma variedade de bebidas não alcoólicas.

DESENVOLVA A CAPACIDADE DE TOLERAR SOFRIMENTO

Quando evitamos a dor, às vezes podemos agir de maneira a afastar os outros. A tolerância à aflição é essencial para neutralizar a probabilidade de trocas prejudiciais. Uma maneira de construir a capacidade de tolerar a angústia são práticas de conscientização, incluindo meditação, exercícios de respiração curta ou foco consciente e intencional em atividades como caminhar e ouvir música.

Essas atividades podem aumentar a tolerância à angústia antes de se reunir com os membros da família, mas também durante as reuniões familiares. Você pode, por exemplo, ir  para a cozinha para cortar legumes ou lavar a louça ou pedir licença para dar uma breve caminhada.

PRESTE ATENÇÃO NOS ENTES QUERIDOS

A consciência também pode ser direcionada para os membros da família. Em minha própria pesquisa e prática clínica com casais lidando com problemas de saúde desafiadores, o distanciamento emocional geralmente acontece quando os membros da família não aceitam as emoções dolorosas de seus entes queridos como válidas ou reais.

Respostas de validação emocionais, como fazer perguntas sobre como um ente querido está sentindo e refletindo o sentimento ou a experiência. Frases como “Isso parece difícil” ou “Sinto muito que você esteja se sentindo assim” expressam cuidado e preocupação, e estão relacionados a um melhor bem-estar pessoal e de relacionamento.

Validação emocional não é o mesmo que concordar com suas escolhas ou por que elas se sentem assim. Terapias para melhorar a validação emocional são tratamentos promissores para casais e famílias que vivenciam a distância emocional.

SE POSSÍVEL, PERDOE

Se há chances de receber os membros da família ou ser bem-vindo de volta, ainda é possível expressar gratidão por aquelas pessoas que lhe trazem alegria ou ajudaram você a aprender algo importante. Atos de gratidão estão associados ao bem-estar e podem ajudar a enfocar os aspectos positivos dos relacionamentos difíceis.

Quando isso não for possível, aprecie a bondade da vida em vez de se concentrar nos relacionamentos que deram errado. Talvez o mais difícil de todos seja perdoar aqueles de quem nos sentimos alienados. O perdão pode curar a dor associada às memórias de traição e relacionamentos difíceis e promover o bem-estar. No entanto, ninguém deve se sentir envergonhado ou se machucar por não poder perdoar.

COMECE NOVAS TRADIÇÕES

Pode não ser possível salvar relacionamentos familiares; talvez seja muito arriscado envolver um membro da família distante. Nesses casos, considere iniciar novas tradições para celebrar as festas e encontrar a conexão social desejada. Celebre em casa com amigos, tenha um tempo de retiro pessoal ou faça uma viagem.

As festas de fim de ano, um período geralmente otimista, podem ser o momento certo para se reconectar com os membros da família com quem estamos distantes. É também um momento para cuidar de nós mesmos, experimentar a alegria e recarregar para o próximo ano. É possível fazer as duas coisas com planejamento e preparação.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s