Antologia, estudos, gay, sexualidade

Não se nasce humano | Joaquim Leães de Castro

  David Le Breton inicia uma discussão interessante propondo uma ideia que gênero é criado e aprendido culturalmente e socialmente.  Em realidade, coloca justamente em debate como questão, ‘quem’ é esse “ser humano” formado a partir das relações entre os indivíduos, pela cultura, pela sociedade, comunidades e grupos sociais.  De certa maneira, conclui: Não se… Continuar lendo Não se nasce humano | Joaquim Leães de Castro

Antologia

Precisamos falar sobre a sua alimentação | Joaquim Leães de Castro

“Ó donos do agrobiz, ó reis do agronegócio/ Ó produtores de alimento com veneno/ Vocês que aumentam todo ano sua posse/ E que poluem cada palmo de terreno E que possuem cada qual um latifúndio/ E que destratam e destroem o ambiente/ De cada mente de vocês olhei no fundo/ E vi o quanto cada… Continuar lendo Precisamos falar sobre a sua alimentação | Joaquim Leães de Castro

Antologia

O SUS está em falência?

É reportada pela mídia a falência do sistema público de saúde, o sistema único de saúde, o SUS. A mídia aproveita as deficiências do SUS para fazer uma ampla difusão dessa suposta ‘falência’? Essa afirmação sobre uma ‘falência’ é correta? É possível elucidar quais foram os avanços do SUS e ser capaz de diferenciar ‘Eficiência’… Continuar lendo O SUS está em falência?

Antologia, direitos

Democracia é permitir direito às minorias | Por Joaquim Leães de Castro

Democracia é permitir direito às minorias. É pensar na hegemonia dos direitos humanos como linguagem da dignidade humana, algo que seria incontestável num estado de direito. A hegemonia de que goza hoje os discursos dos direitos humanos são um resultado de uma vitória histórica ou uma derrota histórica? A maioria não é, assim, sujeito de… Continuar lendo Democracia é permitir direito às minorias | Por Joaquim Leães de Castro

Antologia, arte, comportamento, crônicas, depressão, filosofia, psicologia, relacionamento, solidão

Tatuagem – Metamorfose de Risco

Por que as pessoas tatuam-se tanto? Por Joaquim Leães de Castro O corpo como inimigo implacável a ser combatido. Trata-se de uma ruptura com o ordinário e com a estabilidade da relação corporal numa tentativa de fugir dos modelos dominantes hegemônicos e aceitos. Uma performance sensitiva onde se sente (e que se faz sentir no… Continuar lendo Tatuagem – Metamorfose de Risco